Envie sua redação para correção
    Segundo o pesquisador Andreucetti, no Brasil, cerca de 40 mil mortes por acidentes de trânsito e 60 mil homicídios ocorrem, por ano, como resultado do consumo de álcool. A partir disso, é evidente que o alcoolismo acomete não somente o indivíduo, mas a sociedade em geral, como ainda ocasiona vários danos a saúde do viciado. Logo, o abuso de álcool é um grave problema de saúde pública.
    Primeiramente, cabe pontuar que o álcool é um agente potencializador de violência. Segundo Andreucetti, em São Paulo, nos anos de 2014 e 2015, mais da metade da morte de jovens ocorridas estavam relacionadas com bebidas alcoólicas. Certamente, o álcool altera o funcionamento do cérebro, levando a pessoa a cometer atos que não ocorreriam caso estivesse sóbria e esse é um dos maiores problemas. Nesse sentido, o álcool é o intermediário causador de milhares de mortes no país.
    Além disso, bebidas alcoólicas geram consequências debilitantes para a saúde. Por certo, os danos ocasionados pelo consumo abusivo de álcool compreendem desde os efeitos crônicos, tais como transtornos mentais, cirrose hepática, câncer, bem como outros agravos à saúde oriundo do uso agudo. No entanto, mesmo com tantos malefícios, o consumo de bebidas alcoólicas ainda é elevado no país.
    Portanto, o abuso do álcool no Brasil gera custos sociais e de saúde inestimados. Nesse âmbito, a Polícia Militar em parceria com o Ministério da Saúde, deve fiscalizar diariamente o consumo de álcool por menores de idade em bailes, casas noturnas e bares, aplicando multas aos comerciantes que praticarem a venda ilegal, já que na maioria das vezes os alcoólatras começam a ingerir o álcool desde a juventude, bem como elaborar ações sociais em locais públicos com o objetivo de mostrar as várias consequências da ingestão exagerada de bebidas alcoólicas. Dessa forma, jovens não serão mais vítimas do alcoolismo, além de conhecerem os efeitos do abuso do álcool. Só assim, o Brasil será um país que promove segurança e saúde aos cidadãos.