O abuso de álcool na sociedade brasileira

Envie sua redação para correção
    No filme "Nasce uma estrela", dirigido por Bradley Cooper, há a retratação dos impactos causados pelo álcool nas relações sociais, especialmente em relacionamentos amorosos, como é evidenciado pela obra. Contudo, tais imbróglios relacionados ao álcool não se referem apenas à ficção, uma vez que estão presentes no cotidiano de muitos brasileiros. E esses, às vezes, não estão atentos ao fato de que, quando em excesso, a bebida alcoólica desencadeia problemas não só individuais, como prejuízos à saúde física e mental, mas também coletivos, como o aumento da violência, principalmente de acidentes de trânsito.
          Primeiramente, é importante ressaltar quais fatores ocasionam o abuso do álcool na sociedade brasileira. Nesse sentido, na obra literária "Sociedade do cansaço", o escritor sul-coreano Byung-chul Han destaca que a modernidade trouxe consigo a pressão pelo autodesempenho, e essa, por sua vez, possui uma grande influência em cima do indivíduo que, por não suportá-la, muitas vezes, recorre ao álcool como forma de escapismo. Para além, a influência cultural, viabilizada pelo viés de grupo, isto é, a tendência dos indivíduos em adquirirem comportamentos para se sentirem inseridos, auxilia no processo do uso de bebidas alcoólicas, que pode se intensificar. 
    
          Por conseguinte, o uso desenfreado atinge tanto o indivíduo que consome a bebida, como quem está ao seu redor. Dessa maneira, o abuso do álcool provoca consequências individuais como: o desenvolvimento de doenças crônicas, como a diabetes e hipertensão, e doenças mentais, visto que o indivíduo pode se tornar dependente da bebida. Na conjuntura coletiva, o álcool é um dos fatores que influencia nos acidentes de trânsito, aumentando, portanto, a demanda da saúde pública. Segundo dados de 2018 da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 3 milhões de pessoas morrem por ano como resultado do uso abusivo de álcool, sendo 28% das mortes oriundas de acidentes de trânsito.
    
          Fica claro, portanto, que medidas cabíveis sejam postas em prática, a fim de diminuir o consumo exacerbado de álcool na sociedade brasileira. Logo, cabe ao Ministério da Saúde, junto com a OMS, divulgar campanhas midiáticas que informem a população sobre os riscos que o excesso do álcool ocasiona na vida do indivíduo e na sua relação social, assim como era feito com as propagandas de cigarros. Ademais, o Ministério da Educação deve incluir a discussão do temas nas escolas e universidades, por meio de palestras e cartilhas chamativas, com o objetivo de demonstrar que o uso precoce de bebidas potencializa os prejuízos e as chances de dependência. Com tais propostas aplicadas efetivamente, relações conflituosas como as apresentadas em "Nasce uma estrela" irão diminuir, e o álcool não será mais um problema na vida dos indivíduos da população brasileira.