Envie sua redação para correção
    Imprudência. Irresponsabilidade. Contágio. Disseminação. Desinformação. Essas são algumas constantes que permeiam a discussão sobre o crescimento de DSTs entre os jovens no Brasil. Assim, mesmo com todo o desenvolvimento social e tecnológico presente, esses indivíduos ainda continuam a se arriscar sem o uso dos preservativos. Nesse sentido, percebem-se dois grandes contribuintes para essa problemática, a inconsequência juvenil e a falta de instrução adequada. 
     Nesse contexto, é importante salientar que muitos mancebos, mesmo noticiados das várias decorrências, continuam fazendo sexo sem proteção por pura irresponsabilidade. Segundo a médica Ph.D. Cláudia Jacyntho, a prevenção das DSTs é ignorada pela população. "Diante da facilidade de se fazer o exame e do baixo custo do tratamento, a situação beira o absurdo''. Toma-se claro, à vista disso, que essas mentalidades "insensatas" e "negligentes" precisam ser urgentemente mudadas.   Ademais, outro grande fomentador dessa problemática é, diferente da anteriormente citada, uma verdadeira falta de informação de muitos jovens. Para especialistas ouvidos pela BBC Brasil, a principal causa do aumento é a ignorância e as inverdades entre os juvenis. Com isso, é fundamental a utilização de propagandas informatizantes e conscientizadoras. 
     Fica evidente, portanto, que para retroceder o crescimento das DSTs entre os jovens brasileiros é essencial o combate à inconsequência e a desinformação. Nesse sentido, faz-se necessário que o Governo, por meio do Ministério da Saúde, proporcione palestras gratuitas à população, focando nas terríveis consequências das infecções sexuais (por vezes sem cura), para que nem sequer pensem em desconsiderar o preservativo. Além disso, é preciso que a mídia, por intermédio de seu jornalismo, realize debates informacionais sobre a periculosidade das contaminações sexuais, para que a área de captação seja ampliada e essas instruções cheguem até as casas mais afastadas no interior dos estados brasileiros. Só assim a propagação de DSTs entre os jovens será diminuída no Brasil.