Envie sua redação para correção
    O carnaval é uma das manifestações populares mais representativas do Brasil, o que pode ser visto como algo positivo, levando-se em consideração que a nação brasileira é reconhecida internacionalmente por esse aspecto. No Brasil, os desfiles das escolas de samba possuem como característica: o viés crítico e rememorar os artistas e fatos históricos. Dentre os carnavais mais conhecidos, podemos citar: o de Olinda, Pernambuco, e o do Rio de Janeiro, capital.
              A escola Paraíso do Tuiuti, no carnaval de 2018, desfilou na Sapucaí fazendo duras críticas ao atual presidente, o qual estava representado na figura de Drácula, tendo como tema: '' meu deus, meu deus, está extinta a escravidão?'', fazendo uma comparação do trabalho, de hoje em dia, com a escravidão. Os carros alegóricos retratavam aspectos da contemporaneidade que se assemelhavam ao modo de trabalho do século XVI, como a exaustiva jornada de trabalho, e a ausência de uma carteira assinada. Dessa forma, podemos perceber que o carnaval não é apenas um meio para fins de diversão, mas também como oportunidade de expressar as insatisfações ao governo, servindo de reflexão a toda população. 
              O carnaval de Olinda é reconhecido pelos grandes bonecos de rua, os quais desfilam ao lado de foliões, em blocos famosos nas avenidas pernambucanas. O rei Pelé, por exemplo, foi um dos artistas que conseguiu ganhar um boneco, e foi também o primeiro jogador de futebol a alcançar tal feito. Isso mostra que esse esporte é outro símbolo que tem força na representação da nacionalidade brasileira. Dessa forma, temos que ressaltar que essa festa é uma forma de homenagear grandes ícones do Brasil, incluindo jogadores de futebol, com o objetivo de materializá-los e perpetuá-los ao longo de várias gerações. 
             Torna-se evidente, portanto, a importância em manter o carnaval como símbolo do nosso país, visto que essa cultura popular traz uma riqueza cultural imensa. Cabe aos jovens aproveitar essa festa de forma moderada, ou seja, sem excessos de bebidas, para que evite brigas que possam levar a problemas maiores, como mortes. Cabe ao Estado organizar blocos de carnaval gratuitos, juntamente com ONGS voltadas a cultura, por meio de panfletos e redes sociais, a fim de dar possibilidade a todas as classes existentes na sociedade a participar dessa grande festa.