Envie sua redação para correção
    O carnaval é uma importante festa brasileira que possui visibilidade mundial e é um dos grandes símbolos culturais do país. Contudo, a celebração que inicialmente possuía um caráter popular, vem sendo cada vez mais elitizada pelos seus altos custos de produção e consequentemente para participação dessa festividade. Devido a isso, defende-se uma maior popularização do evento em questão.
                Em primeiro lugar, vale ressaltar a importância do carnaval para a exposição de reivindicações populares, tendo em vista o grande alcance midiático que possui. Um exemplo disso foi a temática retratada no enredo da escola de samba Beija-Flor em 2018, o grupo utilizou o evento para protestar contra a corrupção. Nesse contexto foi criada uma adaptação do Hino Nacional: “Oh pátria amada, por onde andaras? Seus filhos já não aguentam mais!’’ 
                 Em segundo lugar, cabe questionar os gastos públicos que financiam o carnaval, apenas no ano de 2018 o Ministério da Cultura destinou cerca de 8 milhões (via Lei Rouanet) para as escolas de samba, de acordo com o jornal Estadão. Apesar da festa atrair turistas e movimentar a economia, o dinheiro que a financia provém de impostos pagos pelo povo e esse por sua vez não possui acesso direto para desfrutar da celebração, uma vez que os custos dos ingressos são altos.  
          Portanto, mostra-se necessário a aproximação de todas as camadas da população nessa festividade, para que isso ocorra de forma efetiva é preciso que o Governo exponha publicamente a destinação de cada verba utilizada para financiar o carnaval. Nesse contexto é necessário que a população atue em parceria com o próprio Estado nessas tomadas de decisões, por meio de votações, dessa maneira seria possível o entendimento sobre os gastos públicos. Somado a isso, a mídia em parceria com a comunidade deve realizar projetos que ocorram durante o período das comemorações e que sirvam para expor as reivindicações públicas, como por exemplo campanhas nas redes sociais. Assim, seria realidade uma festa com o acesso a todos.