Envie sua redação para correção
    O Brasil , assim, como explora de forma  consistente a imagem do país do futebol, busca também fazer essa relação com o carnaval. Claro que essa estrategia traz benefícios para pátria, mas o que resta saber é se essa grande festa representa a identidade do país.
     Antes de tudo, é válido ressaltar que a ideia do carnaval brasileiro ser a maior festa do mundo, que inclusive os governantes sente orgulho de enfatizar isso. Movimenta a economia do país, aumento a vinda de turistas do exterior e estimula a própria movimentação de pessoas no território nacional, para onde as festas carnavalescas são tradicionais como: Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Além disso, a comemoração dessa festa pelos brasileiros já é algo cultural, que até no calendário é considerado feriado os dias que comemora o carnaval.
     Olhando por outra perspectiva, o carnaval tem origem no período colonial, praticado pela uma classe mais desvalorizada socialmente, os escravos. Mas, que ao longo dos séculos foi se dissolvendo por toadas classes sociais, no entanto, de forma hierarquizada que é vista até os dias de hoje, enquanto pessoas de um maior poder aquisitivo curte o carnaval em camarotes com vista privilegiada dos artistas que embalam a festa e com uma maior segurança. O povão está na famosa pipoca, provavelmente por não poder pagar um camarote e a mercê de uma maior violência. Demonstrando um processo excludente das classes menos desfavorecidas socialmente e financeiramente, que infelizmente não se alterou ao longo dos anos e nesse sentido o carnaval não representa um símbolo para todos da nação. 
     Além disso, os governantes trata o carnaval como uma grande política do circo, que dá diversão aos brasileiros, mas falta o essencial. Infelizmente os gestores gastam milhões na realizações das festas carnavalescas. Enquanto a saúde pública se encontra uma situação de calamidade, a educação pública em péssimas condições e pessoas passando fome. 
     Então, fica evidente a exploração do Brasil como o país do carnaval, mas essa máxima não é valida para todos patriotas. Cabe aos governos,gastar de forma mais responsável o dinheiro o público, em vez de destinar milhões para grandes festas carnavalescas, destinar para áreas prioritárias para país como: educação, saúde e criar projetos sociais que dê um apoio financeiro as famílias mais carentes. além de, criar alternativas para que a festa fique democrática para todos participantes, principalmente, os menos desfavorecidos socialmente. Assim, o carnaval poderá se torna um verdadeiro símbolo do país.