O carnaval como símbolo da nacionalidade brasileira no século XXI

Envie sua redação para correção
    No Brasil uma das frases mais conhecidas diz que: " No Brasil, o ano só começa depois do carnaval.". Bem verdade, visto que a sociedade para quando chega o período da dita festa. Trabalho, escolas, faculdades, para-se tudo para torna-se foliões. Nesse âmbito, o Brasil trás o carnaval como sobrenome, dizer-se brasileiro é quase como afirmar ser carnavalesco. Infelizmente, essa ideia foi sendo incorporada ao imaginário popular desde o tempo da colonização. No entanto, fazer do carnaval símbolo da nacionalidade brasileira não melhora as condições da população .
          Em primeiro lugar, o carnaval é uma festa que engloba todas culturas. Porém, não é cabível comparar a símbolos nacionais como a Bandeira e o Hino Nacional Brasileiro. É sabido que o carnaval uni todos os cantos do território, sem distinguir classes sociais e raças. No entanto, os festejos carnavalescos acontecem uma vez por ano, diferentemente de símbolos nacionais que estão enraizados na sociedade. Aprende-se o Hino Nacional na escola, e em todos eventos oficiais está a tocar, ao contrário do carnaval, que por mais esperado que seja a sua época, é efêmero.
         Além disso, no período do carnaval é esquecido os problemas sociais. Nesse contexto, é possível trazer  memória a política do pão e circo que vigorou no império romano, em que os imperadores , buscando fugir das críticas aos seus desmandos, buscava nos festejos iludir a população. Na atualidade não se pode negar que vários políticos usam do carnaval para distrair o povo, financiando festas com dinheiro que deveria ter outros fins, a exemplo da educação e saúde. Dessa forma, fica claro que apesar de ser um movimento cultural importante,  não faz sentido adotar o carnaval como  simbolo da nacionalidade.
        É evidente que o carnaval está presente na história da população brasileira. No entanto, não representa um simbolo da nacionalidade, visto que não representa a unidade nacional. portanto, é necessário que se classifique o carnaval como representação artística e  cultural. O MEC, através do ministério da cultura, deve colocar na grade curricular disciplinas que ensinem aos alunos o valor de se ter símbolos nacionais  aos quais a população sinta-se por eles representados, além de no âmbito familiar, os pais ensinem os filhos a respeitar os símbolos nacionais.