O carnaval como símbolo da nacionalidade brasileira no século XXI

Envie sua redação para correção
    "A cultura é tudo o que resta depois de se ter esquecido tudo o que se aprendeu". A frase, da escritora e vencedora do Premio Nobel de Literatura Selma Lagerlot, exprime a ideia de que a cultura é a única coisa que permanece mesmo que todos os valores tenham se perdido. Analisando esse conceito atrelado à contemporaneidade, nota-se que quando se refere ao carnaval como símbolo de nacionalidade brasileira é possível encadear à cultura, que serve como ópio ao povo donde a eles é dada uma forma de esquecer os problemas diários que perduram por todo o ano e viver a famigerada nacionalidade exaltada. 
    Sob esse viés, é viável destacar os inúmeros problemas que se acumulam durante esse período como, o assédio às mulheres que toma uma forma mais desmedida, a poluição das ruas da maioria dos estados associada à falta de educação das pessoas que urinam em calçadas de residências, a falta de segurança pública vista durante todo ano se apresenta de forma mais evidente, essas dificuldades culminam para que todo o orgulho da nacionalidade seja perdido. Dessa forma, o carnaval serve para deixar implícitos os problemas e mostra a habilidade do povo brasileiro de ser enganado e não preocupar com os acontecimentos. 
    Ademais, o resultado desse processo é uma sociedade que usa o carnaval como anestésico de dificuldades e objeto de foco em relação a alguns problemas sociais que aparentemente só ocorrem nesse período como o assédio, ao invés de usar como símbolo de exaltação da nacionalidade e usar como a voz para tantas adversidades, uma vez que o carnaval é visto por vários lugares do mundo e seria uma ótima forma de denunciar tantos problemas e impunidades que corroem a sociedade brasileira. 
    Dessa forma, são perceptíveis as dificuldades que se explicitam nessa época do ano e a falta de orgulho nacional. Portanto, devem ser feiras propagandas de alerta aos brincantes do carnaval com políticas de boa convivência, realizados pelo Ministério da Cultura e canais de televisão abertos meses antes da festividade, com o objetivo de alertar e ensinar ao corpo social formas de evitar brigas, a localização de banheiros químicos e cestos de lixo para que dessa forma diminuam alguns problemas comuns dessa época.