O carnaval como símbolo da nacionalidade brasileira no século XXI

Envie sua redação para correção
    Samba. Axé. Frevo. Seja no sambódromo, nas ruas de Salvador ou ainda nas ladeiras de Olinda. Sem dúvidas, o carnaval representa um dos maiores símbolos da nacionalidade brasileira. Entretanto, o que já foi uma festa de acesso democrático, hoje, limita seu público por questões financeiras e pela insegurança.
          "Avisa lá, ô ô, avisa lá que eu vou", infelizmente, a canção eternizada pelo grupo musical Olodum não representa mais a realidade do carnaval. Camarotes e camisas de blocos a preços exorbitantes afastam o público mais pobre da folia. Nesse sentido, o carnaval que deveria ser uma festa de todos, sofre com uma "eletização".
          Além disso, quem resolve curtir o carnaval lida com a insegurança. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, casos policiais crescem até cento e cinquenta por cento durante esse período. Logo, o medo de se tornar vítima de algum crime afasta ainda mais o público dessa grande festa.
          Percebe-se, portanto, a necessidade de uma redemocratização do acesso ao carnaval. As prefeituras das cidades onde há os festejos, por meio de suas Secretarias de Cultura, e com o apoio de empresas privadas que optem por patrocinar o carnaval, devem garantir atrações gratuitas. Ademais, o Estado deve aumentar o efetivo de agentes da lei ao longo dos circuitos e seus acessos, para assim, garantir a segurança do cidadão. Então, garantir que o carnaval permaneça como  símbolo da nacionalidade brasileira nos dias atuais.