O carnaval como símbolo da nacionalidade brasileira no século XXI

Envie sua redação para correção
    Brás Cubas, o defunto-autor de Machado de Assis, diz em suas “Memórias Póstumas” que não teve filhos e não transmitiu a nenhuma criatura o legado de nossa miséria. Talvez hoje ele percebesse acertada sua decisão. Pois, centenas de acidentes e mortes, o consumo de drogas, sem qualquer discriminação e a perturbação da paz pública, é o que constitui o símbolo da nacionalidade brasileira: O carnaval.
    O carnaval é o evento perfeito para simbolizar a atual identidade do Brasil. Primeiramente, por que milhões de reais de dinheiro público são pagos a artistas, somente para garantir entretenimento a uma população miserável ,que muitas vezes não tem sequer o pão na mesa. Sendo assim, este dinheiro público poderia ser melhor aplicado de diversas formas, como combate da extrema pobreza.
    Denominar o carnaval de popular nada mais é do que um erro. Pois há muitos anos o carnaval deixou de ser uma festa democrática e passou a ser uma festa privada, que não mais beneficia sequer o comercio local, e sim, aos donos de cervejarias e trios elétricos.
    O carnaval é (junto com o futebol) o símbolo da nacionalidade brasileira. Pois este país é mundialmente conhecido, não por nossas conquistas e descobertas cientificas ou tecnológicas (conquistas tais que até o próprio brasileiro desconhece), mas sim, como o país da “bola e da mulher pelada”.
    Assim, certamente, cabe a toda a sociedade brasileira, não ofuscar essa famosa festa, mas conserta-la. Construindo assim um novo e mais respeitável símbolo para a nacionalidade brasileira. Cabe ao governo federal, junto com as forças armadas, maior rigidez quanto aos abusos e perturbações cometidos pelos foliões durante os dias de festa. Cabe ao ministério da cultura, a curto prazo, um redirecionamento parcial da verba usada no carnaval para outros setores mais relevantes, como saúde ou educação. Assim como, cabe também ao indivíduo, se esforçar para reconstruir a identidade nacional através de bases sólidas, que realmente seja de importância para a sociedade. E só assim construiremos um legado sem miséria que Brás Cubas pudesse se orgulhar.