Envie sua redação para correção
    Em 2013, foi registrado cerca de 27 denúncias de violência sexual infantil por dia, segundo o site O globo. Essa situação preocupante revela que há algo errado acontecendo na sociedade brasileira o que promove diversos problemas às vítimas. Logo, é preciso que essa situação seja contornada. 
       É importante destacar que a pedofilia ocorre em razão de diversos fatores, dentre eles podemos citar o tabu sexual, a vulnerabilidade infantil e a negligência com os menores. Atualmente, mesmo com a grande liberdade entre as pessoas, ainda há um grande tabu por parte dos pais em conversar sobre sexo e sexualidade com seus filhos, o que é inadequado, visto que as crianças e os adolescentes precisam desse conhecimento para a vida e os pais devem ser os precursores, por questão de confiança e intimidade, a tratar do assunto com seus filhos. Nesse contexto, os menores buscam conhecimento sexual em lugares como a internet, que garante facilidade para encontrar qualquer assunto, mas consequentemente os expõe a diversas situações, como o acesso a conteúdos inapropriados e a pedofilia virtual, mas não os ensina. Além disso, os infantis são negligenciados pela sociedade que não acolhe as crianças, não as observa e releva os adultos que cometem esses crimes bárbaros, deixando-os impunes e muitas vezes culpabilizando a vítima inocente. 
       Nessas circunstâncias as crianças e os adolescentes sofrem graves consequências dessas atitudes que podem ser evitadas. Já que, os menores são vulneráveis e inocentes, cabe aos adultos a devida atenção com aqueles, pois os números de violência sexual infantil são assustadores e há um grande índice de violências por pessoas próximas a família da vítima; segundo o SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação) ocorreu cerca de 7592 casos de pedofilia em 2012, desse número, 70% ocorreu em casa. É importante ressaltar que ainda há o pacto do silêncio, o qual o agressor obriga a criança a não se pronunciar, aumentando, assim, o número de casos de pedofilia. Nessa situação a criança perde grande parte da sua infância, um dos momentos mais importantes na vida das pessoas, e sofre com diversos problemas emocionais e muitas vezes com DSTs.
       Portanto, para que essa realidade assustadora se transforme, é importante medidas imediatas. Para isso, é preciso que haja, em primeira instância, a prevenção da pedofilia, de forma articulada entre pais e escola, de modo que esses ensinem as crianças e os adolescentes, de forma lúdica, sobre sexo, sexualidade e como o corpo funciona. Concomitantemente, deve haver a ação conjunta entre governo, sociedade e escola para denunciar os casos de abuso, o governo deve ministrar palestras ao público sobre comportamentos infantis, com isso a escola e a sociedade devem ficar atentas as mudanças comportamentais das crianças e denunciar em caso de suspeita.