O combate à pedofilia no Brasil

Envie sua redação para correção
    Diga não ao abuso, a culpa não é sua   
     Cogita-se com muita frequência inúmeros casos registrados sobre a violência sexual contra crianças, adolescentes e adultos. E essa fatalidade vem aumentado em um nível absurdo causando traumas até o ponto de suicídio.
     Enorme a quantidade que passam pelo estrupo e não tem coragem de contar os pais ou denunciar. Dentre todas as idades, o foco maior está sempre na infância e adolescência de dez ao dezenove anos, por serem muito fracos, indefesos e não saber ao certo como reagir diante ao peso dessa situação, muitos preferem guardar pra si e não se expor de maneira bruta. Cerca de vinte ou mais crianças chegam aos hospitais todos os dias por serem vitimas de abuso, que eles usam e jogam fora como se fosse algo descartável.  
     Vale ser lembrado que qualquer relação que a pessoa não queira é considerado como abuso, onde tem os agressores que são os desconhecidos, como também um parente da família, que tem sido  casos ocorridos com muita frequência, principalmente por avô e tios. E acontece que muitos se calam por não ter o apoio suficiente da família.
     Ultimamente no Brasil, a culpa vem sendo da vitima, onde a mesma é julgada por optar usar vestimentos curtos, por ter relações com quem quiser e pelo seu modo de ser. São estrupadas por serem oferecidas e agir de maneira inadequada, são palavras de machista, ignorante e prepotente.        
     Em relação a isso, o governo deveria providenciar maneiras, como fornecer outdoor para serem colados em praças, shoppings, em lugares públicos, levar palestras frequentemente em escolas, creches, apoio psicológico gratuito. Procurar por manter todos sempre alertados dos perigos que correm todo dia, até mesmo com quem está próximo, ajudando a conscientizar que a culpa não é da vitima, mas sim, sempre do agressor.