Envie sua redação para correção
    Quebre o silêncio  
              Maria se esconde debaixo da cama, grita, chora, mas ninguém a escuta, o seu abusador se aproxima, ela se sente suja e culpada. Infelizmente essa narrativa fictícia é realidade de muitas crianças segundo especialistas no crime  o perfil das vítimas de pedofilia é em maioria do sexo feminino, de 7 a 13 anos. Maria assim como tantas outras meninas acham que calar-se é a melhor solução, muitas sofrem dentro de casa por seus próprios parentes. Portanto, é imprescindível o combate à pedofilia no Brasil e para isso deve-se falar e alertar sobre o problema para a sociedade  
           Em primeiro plano, "O Silêncio de Lara" o média-metragem brasileiro de 2015 do projeto Quebrando o Silêncio, denúncia uma história de uma jovem que foi abusada por seu avô, parecida com a história de Maria, mostra que esse silêncio precisa ser quebrado por diversos meninos e meninas. Consoante a BBC Brasil 24% dos agressores das crianças são os próprios pais ou padrastos, e 32% são amigos ou conhecidos da vítima. Dessa forma muitas crianças tem medo de contar o ocorrido para os pais, caso não sejam eles os abusadores, a professores e pessoas do seu meio social. É preciso identificar e reparar o crime, mas as marcas da violência ficam para toda a vida.  
                 Em outro plano, para identificar o abuso sexual infantil é preciso uma maior atenção dos pais no comportamento dos filhos, como mudanças de humor e personalidade, um comprometimento da escola em tocar em temas como esse de maneira educacional, para descobrir se algum dos alunos não podem sofrer abusos. A mídia como veiculo de informação pode divulgar campanhas de denúncia, elaborar um desenho que trate do assunto que criança possa entender e se identificar, passando a mensagem que a vitima não tem culpa e precisa falar sobre e não silenciar-se. O abusador geralmente sofre de transtornos sexuais e além de ser preso deve passar por tratamentos com psiquiatras. 
               Indiscutivelmente, a pedofilia causa problemas sérios e pode acarretar danos para toda a vida da criança que por lei tem seus direitos protegidos pelo ECA. Assim,  a sociedade brasileira de modo geral deve estar atenta a esse problema e se consciencializarem a denunciar casos de abusos como o infantil ligando no disque 100. Além, de ações da Policia Federal Brasileira, por meio de dispositivos que ajudem a detecção de pedófilos, principalmente na internet, que é o maior meio de propagação, identifiquem abusadores que aliciem crianças em redes sociais. É de suma importância que estes casos sejam tratados com severidade penal, não somente como um crime qualquer e que a criança tenha apoio psicológico para lidar com o acontecimento e ter uma vida social, desse modo é preciso quebra o silêncio da vitima e dos indivíduos.