O combate à pedofilia no Brasil

Envie sua redação para correção
    Na idade média, houve um intenso combate à sodomia que, entre suas variações incluía  a prática sexual com crianças. No dias de hoje a pedofilia é um grande desafio a ser combatido, uma vez que diariamente são relatados casos em todo país, e na maioria das vezes o abuso acontece dentro de casa, tornando ainda mais difícil que a criança relate o acontecido.
          A cada dia, pelo menos 20 crianças de 0 a 9 anos são atendidas nos hospitais do SUS, após terem sido vítimas de violência sexual. Deixando claro que esse crime está se tornando cada vez mais frequente na sociedade,  interferindo  nos direitos firmados pela constituição brasileira, que visam defender o menor de idade.
          De acordo com o SINAN (sistema de informação de agravos e notificação), a grande maioria dos casos acontece no ambiente familiar, lugar onde a criança deveria estar " protegida" , assim dificultando que ela venha a denunciar o ocorrido. Outro dado aponta que 87 casos são denunciados todos os dias, e que 20% dos casos o agressor era conhecido da vítima ou da família, mostrando assim, que a criança deve estar preparada para denunciar qualquer ato, e qualquer pessoa.
          Portanto, medidas são necessárias para resolver a problemática. Torna-se imperativo que o Estado, na figura do Poder Legislativo, desenvolva leis de tipificação como crime hediondo aos atos sexuais praticados com crianças. Ademais, urge que a mídia, por meio de novelas e seriados, transmita e propague os canais de denúncias como o disque 100 e delegacias de criança e adolescente, com propósito de aumentar o número de denúncias. Outrossim, a escola deve realizar debates periódicos com as crianças, a fim de instruir, imparcialmente, seus alunos acerca de seus direitos e formas de denunciar abusos. Apenas sob tal perspectiva, poder-se-á respeitar a criança e combater a pedofilia, pois como proferido pelo sociólogo Gilberto Freyre " O ornamento da vida esta na forma como um país trata suas crianças."