O combate à pedofilia no Brasil

Envie sua redação para correção
    De difícil percepção para os familiares da vítima, a pedofilia ainda está presente na sociedade brasileira de maneira alarmante. No entanto, a informação de pais e de adolescentes é a melhor ferramenta para o combate dessa violência. 
          O agressor tem na maioria dos casos acesso fácil à vítima. Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), a maioria dos casos de pedofilia acontece dentro de casa. E isso dificulta ainda mais que esses criminosos sejam denunciados. Pois, muitas vezes, o violentado se sente acuado pela presença constante do agressor e pela dificuldade ainda maior de entender que está sofrendo abuso por conta da proximidade do pedófilo. 
             E agora com o uso facilitado da internet, esses criminosos ganharam mais uma arma para agir. Os pais não conseguem sozinhos descobrir quem são esses criminosos, já que os agressores agem de maneira anônima para conseguir vítimas por meio das redes sociais. Portanto, além da melhoria no compartilhamento de informações para a família, a polícia brasileira precisa se adequar a essa nova realidade social que a tecnologia trouxe e realizar de forma inteligente operações para a captura desse tipo de pedófilo. 
          De qualquer forma, virtualmente ou não, a informação dos pais sobre esse assunto é de fundamental importância para a prevenção e captura de pedófilos. Pois, a vítima sempre muda de comportamento, e alertar os pais sobre os sinais que as crianças e adolescente dão quando estão sofrendo abuso é a melhor solução para o problema. Além disso, os pais podem agir de maneira preventiva e ficar observando seus filhos quando fazem uso da internet, bem como ensiná-los a agir quando uma pessoa toma alguma atitude suspeita.
              Desse modo, transmitir mais informações para os pais e responsáveis é a melhor saída. Por isso, a escola pode ter papel fundamental para ajudar na resolução desse problema. É necessário que se crie um dia no ano em que todas as escolas falarão sobre o assunto e com pais e filhos juntos.