Enviada em: 14/11/2018

Esquecimento dos direitos democráticos       Durante a ditadura militar, uma parte majoritária da população estava insatisfeita com o autoritarismo opressor governamental, já que com a censura, a liberdade de expressão havia sido dizimada e a sociedade não podia exprimir suas opiniões. Entretanto, mesmo com a situação adversa, ocorreram manifestações para que houvesse uma ética nacional. Contudo, apesar das mudanças relacionadas a forma de governo, a ética ainda não foi encontrada, sendo um grave problema para a nossa sociedade       Aliás, o Brasil combate frequentemente muitos problemas graves, como por exemplo, a pobreza e a corrupção. Porém, mesmo a frente dessa realidade, a maioria populacional prefere eufemizar os problemas sociais, políticos e econômicos, e conjunto a isso não realiza nada para se opor e forçar mudanças, diferentemente do que ocorria entre 1964 e 1985, onde as modificações foram impostas a partir da vontade social que combatia a falta de ética.        Contudo, depois da década de 1980, houve um paradoxo social, pois depois de tanta tortura e carnificina, e do silêncio imposto aos indivíduos, a sociedade se abstêm do direito conferido a partir das lutas sociais, e não faz nada para mudar essa crise moral que permanece em nossa nação. Assim, apesar de residir em um Estado democrático, o brasileiro se aliena e guarda para si o seus direitos, ao invés de usufrui-los e conquistar melhorias éticas e morais para si e para a sua sociedade.       Portanto, para que o indivíduo não negligencie seu direito de cidadão, é necessário que o mesmo desfrute do sistema democrático e haja. Para isso, a população deve ir as ruas, pacificamente, exigindo a mudança de postura na política. Para tal, é preciso também que aconteça uma mudança na mentalidade, para que suceda na volta de valores humanos, como a ética e a moral, que só será possível com a mobilização das famílias, escolas e da mídia.