Envie sua redação para correção
    "Há uma cultura de banalização. Tudo é banal, tudo está sujeito ao consumo". A óptica do escritor português, José Saramago, retrata o atual estado da sociedade, na qual se encontra desviada pelo consumo sem a preocupação com a destinação do lixo produzido por aquele produto. De acordo com G1, no Brasil, 41,6% do lixo tem destino inadequado, causando uma poluição para o território nacional. Ora, uma cultura consumista banalizada é corroborada, seja por um Estado ausente, seja por uma coletividade ignorante dos riscos presente na situação. 
          Essa problemática se origina, primeiramente, na insalubre ação governamental com esse desleixo. " O ser humano é aquilo que a educação faz dele".  A citação do filósofo Immanuel Kant, espelha uma realidade da sociedade, na qual toma suas atitudes de acordo com a educação presente em seu dia a dia. Comparando-se com a temática, observa-se o distanciamento do Estado com a educação, logo, cria-se uma nação consumista e descuidada de seus resíduos gerados por essa obtenção, tendo em consequência, de 2003 a 2014, o aumento do lixo em 29% (G1). Então, compreende-se que, uma nação sem os requisitos básicos ofertados pelo poder estatal, não sente falta da precaução sob suas atitudes. Com isso, tem-se uma coletividade banalizada que tonifica para um território poluído.
    
          Por sua vez, uma sociedade que desconhece as consequências de seu consumo ratifica a realidade do lixo. "O que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano". O pensamento de Issac Newton mostra a falta de conhecimento presente no ser humano, e isso se torna uma problemática pelo fato de que o homem pode ser um consumista de produtos que podem gerar um alto risco para o ambiente. Quando se faz relação com o tema, entende-se que uma nação leiga sobre os resíduos corrobora para uma destruição ambiental por conta da insignificância dada para o imundície produzida por estes. Logo, um corpo social ignorante robustece para o aumento do consumo e a acumulação do lixo.
          Refletir sobre a situação do lixo gerado pelo consumismo se faz necessário. Urge, portanto, que o Estado impulsione a coleta seletiva, por meio de investimentos no setor público, a fim de levar os resíduos para um lugar propício. Ademais, as escolas devem salientar os alunos sobre o perigo do alto consumo, por meio de campanhas e conteúdos extracurriculares que ensine sobre cuidados necessários para com a obtenção de produtos, com o fito de diminuir o consumo e como consequência  a diminuição do entulho. Assim, seguindo-se as propostas ditas, o Brasil tende para a diminuição do lixo e para a correção do destino do lixo, pois de acordo com o escritor brasileiro, Augusto Cury: "A aceitação passiva das ideias é pior que a crítica tola dirigidas a elas".