O papel das startups de educação no Brasil.

Envie sua redação para correção
    A educação é um direito fundamental estabelecido pela Constituição Federal brasileira no intuito de garantir o desenvolvimento da cidadania e a qualificação profissional para a população. Entretanto, o Estado brasileiro não consegue oferecer a todos esse direito de maneira justa e igualitária. Diante desse cenário precário, é imprescindível o investimento em startups voltado para este setor que visem à redução da desigualdade no acesso ao ensino de qualidade. 
          Segundo a reportagem do portal G1, a crise do mercado de trabalho é sentida mais pela população de baixa escolaridade. Essa situação ocasionada se deve ao fato da Administração Pública ser ineficiente em seu dever mister de proporcionar uma educação de qualidade e com isonomia. Além disso, nota-se nos últimos censos escolares um aumento da taxa de evasão de estudantes nas escolas públicas que também contribui para uma baixa qualificação profissional das próximas gerações.       Simultaneamente, o surgimento das startups voltadas para o setor educacional, as quais têm como característica o baixo custo associada à tecnologia, visa proporcionar a acessibilidade ao ensino de excelência, o qual é encontrado, em sua maioria, nas instituições privadas. Diante disso, urge a necessidade de investir em políticas similares na educação pública. Ademais, isso incentivaria o empreendedorismo na sociedade e uma melhor capacitação das camadas menos favorecidas.       Portanto, para reduzir esta discrepância no acesso ao ensino de alto padrão, é primordial o aumento na criação de startups voltadas ao setor educacional. E para isso, o Governo Federal, deve intervir na flexibilização da legislação referente a abertura e gestão de micro e pequenas empresas, no intuito de reduzir a burocracia existente no âmbito corporativo. Além disso, empresas privadas podem financiar pesquisas ou ceder bolsas de iniciação científica nas instituições federais de ensino superior, com o objetivo de proporcionar a criação de incubadoras que promovam soluções inovadoras na esfera educacional. Por fim, com a adoção destas estratégias é possível a diminuição da desigualdade social e a democratização da educação no país.