O papel das startups de educação no Brasil.

Envie sua redação para correção
    Quando analisamos a evolução da educação ao longo do tempo, percebemos que a tecnologia sempre esteve presente. O espaço, por exemplo, que na Grécia antiga era ao ar livre e se chamava "Ágora", ao longo dos séculos foram transformadas no que conhecemos como escola. Atualmente, com as Startups de educação tem mudado o jeito de aprender e melhorado a economia, e muitos brasileiros principalmente os jovens, tem optado por estudar em casa ou então a investir. No entanto, o aumento de interesse por estudar em casa demonstra que há uma disposição em aprender, mas também mostra que o ensino presencial da rede pública não cumprindo com o seu papel.  
       De acordo com o experimento social " Hole in the wale" feito pelo professor de tecnologia educacional
    Dr. Sugata Mitra, as crianças aprendem sozinhas e não precisam da presença constante de um docente. Do mesmo modo, as Startups brasileiras de educação tem demonstrado isso, Jovens de 14 a 23 anos preferem aprender pelo YouTube segundo a Paerson. Isso significa, que o Brasil pode estar caminhando para um ensino virtual domiciliar e que pode haver uma democratização do ensino. Contudo, antes de dar o primeiro passo, é preciso ter em mente que o ensino nas escolas públicas está precária e precisam de reformas urgentes, em segundo, devemos ressaltar que no Brasil não há uma democratização do uso á internet e tenologia. Ainda mais com a alta de interesses pelo ensino online por aqueles que também não possui um ensino presencial de qualidade mas utiliza a internet, consequentemente está criando um novo grau de distanciamento da educação dessas pessoas que não tem um ensino de qualidade nas escolas e que não tem também acesso á internet.
       Por outro lado, as edtechs tem aquecido a economia brasileira e também tem demonstrado que os brasileiros se importam com a educação do pais, o que é muito bom pois está havendo fluxo na economia, está empregando pessoas e está educando e ao mesmo tempo inspirando outras pessoas a investirem também nesse tipo de negócio. São Paulo está em 18° lugar no ranking mundial de Edtechs, segundo a IstoÉ, a previsão do mercado é só crescer. Além disso, as Startups de educação especializadas em pessoas com autismo tem ajudado muito a formação das mesmas, e facilitando a inclusão deles na sociedade.
      Infere-se, portanto, que ainda há entraves para garantir a solidificação de politicas que visem a construção de um mundo melhor. Dessa forma, é necessário que haja uma distribuição do acesso a internet e tecnologias, portanto, Ministério da Ciência e Tecnologia juntamente com o Ministério da Educação, devem estudar estratégias para a inclusão de tecnologias nas escolas e a distribuição de internet nas áreas que não possuem, visando democratizar o acesso a tecnologia e informação.