Enviada em: 22/10/2018

É evidente a transformação que a tecnologia proporcionou para a comunicação. Ao contrário da época do Descobrimento do Brasil, onde a conversação para longas distâncias era feita através de cartas, cujas quais, demoravam meses para chegarem ao destinatário, hoje em dia, é possível mandar uma mensagem e essa ser entregue em questão de segundos. Todavia,tratando-se do diálogo, a antiga e tradicional conversa cara a cara está sendo trocada pelo uso de aparelhos eletrônicos, desta forma, as pessoas estão se tornando cada vez mais introvertidas, ao ponto de prejudicar as suas relações sociais. Assim, é dever da família prevenir tal comportamento, a fim de evitar problemas posteriores.        Deve-se pontuar, de início, que estamos na era da tecnologia, e as redes sociais são um importantíssimo instrumento de comunicação, devido a sua praticidade e agilidade, como também, sua possibilidade de gerar relações sociais ilimitadas, permitindo um rico escambo cultural e ampla visão de mundo.       Apesar de reconhecer o seu papel,ao passo que estamos no período mais comunicativo da história, ainda sim, enfrentamos dificuldades para realizar um diálogo. A razão para tal  é que as pessoas se sentem menos intimidadas ao se "esconderem" através de um perfil na internet. Essa realidade é afirmada através do psicoterapeuta americano Aaron Balick, ao dizer que as redes sociais reduzem a noção de vergonha, diálogo e empatia. Ou seja, o indivíduo - principalmente crianças e adolescentes, possui um certo receio para encarar o ''mundo real", o que pode acarretar em uma série de problemas como: baixa autoestima, tristeza, vergonha excessiva, etc.    Torna-se evidente a importância da ação familiar, que deve agir por meio de conversas a cerca do assunto, alertando sobre os perigos de se refugiar através das tecnologias, além de prestar o apoio necessário, trabalhando a autoestima e segurança, que podem ser alcançados através do diálogo ou apoio psicológico, afim de gerar jovens saudáveis e confiante....