Envie sua redação para correção
    Ao redor do mundo, com o aumento da população, todos países necessitam de grandes quantidades de alimentos. Esses, importam e exportam, sendo a atividade agrícola responsável por grande parte do PIB (Produto Interno Bruto) na maioria deles. Grande parte dos produtores de alimentos, usam produtos para controle de pragas e, posteriormente, aumento da produção, os famosos agrotóxicos. Os quais são prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, sendo um veneno para a população.
          De acordo com uma pesquisa da Unicamp (Universidade de Campinas), no Brasil, a terceira maior causa de intoxicação está ligada aos pesticidas. Esses são prejudiciais, principalmente aos trabalhadores rurais e, em seguida, aos consumidores. Mesmo sendo nocivos a saúde, não há uma fiscalização para regular o uso, além disso, os projetos de leis visam afrouxar o uso dos venenos, o que trará mais prejuízos a saúde pública e ao meio ambiente, outro problema causado pelos defensivos agrícolas.
          Além disso, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo, segundo notícia do G1. A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), em seu dossiê, mostrou que são consumidos cerca de 1 bilhão de litros de fitossanitários por ano. O problema é ainda maior, pois parte desses pesticidas são proibidos em todo mundo e, continuam sendo usados amplamente no País, ao contrário do que se pensava, o uso de agrotóxicos não combateu a fome, tampouco, garantiu alimento para todos.
          Em suma, o agronegócio "esconde" os riscos dos defensivos agrícolas, estão preocupados com os lucros e o aumento da produção. Em vista disso, o Ministério da Saúde, por meio da Anvisa, deve fiscalizar mais intensivamente a forma de como são usados os agrotóxicos, regulando sua quantidade, tipo, forma de aplicação e possíveis riscos. Dessa maneira, será diminuído boa parte dos problemas de saúde dos trabalhadores e consumidores. Ademais, o Governo Federal, por meio do Ministério da Agricultura, deve liberar incentivos para a agricultura familiar e o cultivo de orgânicos, visando diminuir o uso dos venenos, não afetando os lucros.