O uso de agrotóxicos no Brasil e no mundo

Envie sua redação para correção
    Raiz Envenenada
      A Revolução Verde , foi uma grande percussora da modernização dos campos por meio do avanço tecnológico e das pesquisas científicas, transformando o modo de produção da agricultura mundial a partir da inserção de agrotóxicos nas lavouras. Indubitavelmente, o Brasil se destaca como um dos maiores exportadores de commodities e consumidores de agrotóxicos do mundo. O uso irresponsável desses venenos e a banalização da Lei, todavia, impactam na qualidade de vida dos brasileiros, seja direta ou indiretamente. 
      Em primeiro lugar, é importante observar, que o perigo é mais pertinente no local de suas origens. No entanto, os trabalhadores rurais são os principais afetados, pois estão envolvidos a longo prazo com a aplicação dos defensivos agrícolas, e encontram-se em sua maioria sem a proteção apropriada, como o uso de botas e óculos, ignorando as recomendações de manuseio do produto e expondo-se a um risco mortal que é o câncer. Além disso, a população rural que vive ao redor dessas lavouras também sofrem com as consequências da aplicação indiscriminada, como a pulverização, que acaba atingindo os transeuntes através do ar. 
      Outrossim, a proposta de reforma na Lei dos Agrotóxicos demonstra uma banalização das autoridades diante dos riscos em evidência. Dessa forma, as mudanças na Lei é uma tentativa de mascarar a nocividade dos agrotóxicos, a começar pela substituição do termo “agrotóxico” por “pesticida”, defendida pelo Ministro da Agricultura como um meio de evitar o uso pejorativo da palavra, porém na realidade, é um eufemismo diante do sentido denotativo que a palavra carrega. Ademais, as normas incrementadas facilitam a entrada dos venenos no consumo da alimentação brasileira, que de acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas) apresenta uma ameaça aos direitos humanos. 
      Em suma, é necessário a implantação de medidas preventivas no uso de agrotóxico. Nesse sentido, o Ministério da Agricultura, a partir da mídia, deve investir em campanhas de informação quanto à segurança do trabalhador rural, por meio da recomendação do uso de equipamentos de proteção e procedimentos corretos a serem seguidos durante e após a aplicação, e também convocar a participação da sociedade nas denúncias contra o uso indiscriminado dos venenos. Assim, haverá uma sensibilização para o uso consciente a fim de diminuir os impactos na saúde da população, desde a raiz à mesa do consumidor.