O uso de agrotóxicos no Brasil e no mundo

Envie sua redação para correção
    Graças ao melhoramento genético, via seleção artificial, e, principalmente ao uso de agrotóxicos, é possível sustentar, com alimentos, a atual população mundial. Entretanto, novas propostas que flexibilizam a regulamentação desses químicos ameaçam a saúde da população em geral. Diante disso, deve-se analisar como o abrandamento de normas e o consumo exacerbado desses produtos provocam tal problemática no país e no mundo.
    
          A diminuição e facilitação das regras relacionados ao uso de corretivos químicos é a principal responsável pelos danos à saúde dos indivíduos. Isso ocorre pois, com o pacote de mudanças para a Lei dos Agrotóxicos, permite-se a aplicação de produtos sem uma rigoroso análise de seus riscos para o ser humano. Dessa forma, não há garantia de que é seguro usar esses itens nos alimentos. Infelizmente, torna-se comum, portanto, intoxicações fruto dessa realidade, que registrou mais de 100 mil casos entre 1999 e 2012, segundo dados do instituto Fiocruz com associados. Por consequência, muitos indivíduos, sem outra opção senão consumir tais alimentos, sofrem com os riscos desses.       Ademais, o exagero na aplicação desses corretivos configura outro fator que impacta, também, na saúde em geral. Isso porque o consumo de agrotóxicos em lavouras aumenta a cada ano, e, entre 2002 e 2014, quase dobrou seu uso, conforme dados do Dossiê Abrasco. Os trabalhadores rurais, nesse caso, por exemplo, sofrem com a exposição contínua a essas substâncias. Consequentemente dessa busca pelo lucro a qualquer custo dos produtores de campo, toda a população experimenta danos ao seu bem-estar.
    
          Torna-se evidente, portanto, que normas fracas e utilização desmedida provocam prejuízos a todos. Sendo assim, o Ministério da Agricultura, em parceria com ONGs do ramo agropecuário, deve, por meio de um novo projeto de lei, reforçar os requisitos relacionados ao uso de agrotóxicos, além de tornar mais rígidas as penas para aqueles que desrespeitarem tal legislação, de modo que essas substâncias sejam utilizadas em harmonia com o bem-estar de todos. Assim, é possível resgatar o ideal de fornecer alimentos para a população desses químicos e mitigar seus efeitos negativos.