O uso de animais em pesquisas e testes científicos no Brasil.

Envie sua redação para correção
    Fritz Harber foi um físico químico alemão que com suas pesquisas- que faziam o uso de animais como cobaias- desenvolveu compostos químicos essenciais à Alemanha durante a primeira guerra mundial. Cientistas brasileiros, em contraste com Harber, têm o foco de suas pesquisas, que usam animais, nas áreas saúde e educação científica, importantes para o desenvolvimento brasileiro. Apesar disso, o uso de animais em testes científicos no Brasil ainda tem sua necessidade questionada por ativistas, populares e até mesmo cientistas que alegam crueldade aos animais, muitas vezes por não ter conhecimento sobre o assunto.
         Em primeiro plano, a comunidade científica brasileira, a fim de garantir sucesso em suas pesquisas e testes, usa animais de diferentes espécies como cobaias.Os testes em animais garantem a eficácia das informações sobre os efeitos que seguem a introdução de um substância, foco da pesquisa, em um organismo vivo, tendo como resultado possíveis efeitos colaterais e outras consequências chave para a segurança humana. Porém, os testes em animais são questionados necessários dentro da ciência tecnológica computacional, que em pesquisas como a do chinês He Jiankui, que estuda o DNA humano, mostrou sucesso ao simular virtual e complexamente o organismo humano.
         Outrossim, ativistas e populares brasileiros a favor dos direitos animais se mostram contrários aos testes e pesquisas que usam animais. Fazendo o uso das mídias sociais, principal ferramenta de comunicação e divulgação ideológica dos grupos ativistas, compartilham informações tendenciosas sobre o maltrato animal em pesquisas científicas. As notícias tendenciosas comovem a camada popular que adere à suposta causa animal, criticando a comunidade científica que realiza testes em animais com intuito de garantir segurança humana e progresso farmacêutico.
         A falta de conhecimento acerca dos testes realizados em animais é, portanto, o fator que leva a comunidade científica a ser incompreendida e taxada cruel por populares. Com o objetivo de fornecer conhecimento científico popular que esclareça o uso de animais em testes, para que o preconceito contra a comunidade científica seja diminuído, o Ministério da Educação deve disponibilizar em suas mídias sociais palestras em vídeo que conceituem os meios e finalidades das pesquisas e testes científicos. O Ministério da fazenda deve oferecer incentivos fiscais à empresas privadas que investirem em pesquisas de ciência tecnológica computacional, para que no futuro testes em animais não sejam necessários no Brasil.