Envie sua redação para correção
    O caso que ocorreu em São Paulo, em 2013,  onde ativistas adentraram em uma clínica  de cosméticos e mostraram ao Brasil e ao mundo a forma de como os cães eram usados para os testes e a forma de como eram tratados,  fez com que fosse levantado a questão da necessidade  do uso de animais para fins científicos. Diante tais fatos, é observável que a falta de alternativas e os riscos  e os custos do uso de humanos para experimentos impossibilitam que esta prática seja, enfim, impraticada. 
          O uso de animais ou de outros seres vivos é algo que já vinha a ser efetuado a séculos, e muito do que sabemos hoje foi gerada por esses estudos. Em muitos casos, não é possível o uso de outras alternativas, como o uso de programas , pois o organismo de um ser vivo é complexo o suficiente para que qualquer computador possa simulá-lo. Diante disso, fica-se recluso o uso de animais como cobaias, pois, geralmente, sua constituição orgânica é a mais próxima a de um ser humano, como, por exemplo,  é o organismo de um primata ou de um roedor, como o rato. 
    
          Além disso, um outro fator que faz com torne impraticável o uso humanos como cobaias, é a existência  dos riscos à sua  saúde e, em casos gaves, à sua vida. Mesmo que antes da realização dos testes seja feito algum estudo profundo sobre o medicamento, nem sempre é possível definir com total exatidão quais serão as  consequências causadas a esta pessoa. Somado a isso, podemos dizer que os custos para o recrutamento e  para o pagamento das possíveis indenizações invalidam a possibilidade  do homem ser uma alternativa. 
    
          O uso de animais é, por tanto, em muitos casos,  a única alternativa viável e existente para a execução dos  testes clínicos. Mas vale salientar, entretanto, a necessidade de uma rigorosa vigilância por parte das autoridades  do país, afim de retratar e coibir a qualquer possibilidade da existência de mal-tratos de animais em território nacional. Convém, também, retratar que é necessário que as empresas que praticam o uso  de qualquer ser vivo, busquem trazer uma melhor qualidade de vida a esses, afim de tentar humanizar essa situação.