O uso de animais em pesquisas e testes científicos no Brasil.

Envie sua redação para correção
    O japão durante a guerra da manchúria , fez uso de chineses como cobaias em testes contra doenças ,visto que ,consideravam-se seres superiores e teriam o direito de utilizar em prol do Império Nipônico. Paralelamente,nos dias atuais , a sociedade brasileira aceita testes em animais pois teme não só doenças, como também a perda de certos produtos.A população deve não só cobrar políticos como também deve repensar suas atitudes visando proteger todos os seres vivos.
      Ademais , Bauman em seu livro Modernidade Líquida demonstra como a sociedade vem tornando-se consumista pela simples motivação de consumir ,em busca de preencher um vazio e insegurança crescente na modernidade em que vivemos.Por sua vez, as empresas buscando se aproveitar dessa "fome" fazem testes de produtos,geralmente ,em animais com o objetivo de agilizar o processo e o tornar mais barato e seguro ,tendo desta forma seu lucro maximizado e ao mesmo tempo o incentivo a sociedade de consumo compulsivo.
      A política cientifica, possui sua base na busca por resultados ignorando por vezes o sacrifício de alguns coelhos em troca de uma vacina,o que parece algo insignificante tento em vista que salvará milhares .O estudo em seres humanos sobre a hipotermia pelos japoneses trouxe enormes avanços científicos,todavia nos dias atuais tratamos como crime de guerra .A sociedade como um todo deve buscar investir e cobrar para e criação de outros meios para pesquisas de modo que a humanidade como um todo possa se desenvolver sem ser as custas do sofrimento animal. 
      Por conseguinte, o uso de animais é algo cruel e que deve o mais breve possível ser substituído por outros métodos que não envolvam vidas.O Ministério Do Meio Ambiente em conjunto com Faculdades Do Pais inteiro financiados pela união devem iniciar a pesquisa sobre outros métodos alternativos como o uso de software ou células em vitro,os professores iriam desenvolver o projeto em conjunto com os alunos em laboratório, com horários fora do período letivo visando facilitar a participação de todos.