Materiais:
Enviada em: 21/07/2017

O termo ostentação se popularizou devido sua aparência em diversas músicas sobretudo do gênero funk, a expressão surgiu como sinônimo de esbanjar, e esse ato é resultado de uma sociedade de massa influenciada pela obsolescência programada, isto é, a necessidade de ter algo sem precisar, e também pela mídia que faz um grande papel contribuidor desse cenário onde o ''ter'' é superior ao ''ser'’. E disso surge várias consequências quando inseridas no plano de consumo.      Em meio a uma sociedade hierarquizada, o indivíduo tende a querer mostrar superioridade em frente aos outros e para isso compara-se aos demais para assim ser sempre o melhor, uma interpretação assim de simulacro da realidade, em que apresenta um cidadão que por meio da fragilidade humana e insatisfação tenta transparecer isso por meio do esbanjamento. Contribuindo com o cenário de uma sociedade de massa, o querer por privilégios faz com que todos dentro do meio busquem por esse objetivo.      Outro fator contribuinte é a mídia, pois em meio a um sistema de governo capitalista, a maior finalidade é o lucro assim ela lança tendências para aqueles pertencentes a uma classe mais alta que tem acessibilidade a esses produtos propagados. Assim faz-se referências com o termo de ''mais valia'' do sociólogo Karl Marx em que a burguesia seleciona os produtos que o proletariado pode comprar, enraizando cada vez mais a hierarquização no país.     Portanto, medidas apostando em conscientização são de grande importância para a resolução do impasse. Assim o Ministério das Comunicações deverá promover campanhas em meios como televisão e rádio para assim discutir o assunto. Como pontuou o filósofo Immanuel Kant, o homem é aquilo que a educação faz dele, dessa forma as escolas juntamente com a família com o auxílio do Ministério da Educação, deve promover palestras com ativistas e filósofos, abordando os efeitos da ostentação e explicar os motivos que levam a isso, promovendo o debate.