Enviada em: 21/09/2017

Muito se discute a importância do aumento do Produto Interno Bruto (PIB) no Brasil. Nesse sentido, pode-se destacar os anos de 1968 entre 1973, o momento de forte crescimento da economia nacional, o PIB subiu de 4% para 14%. Entretanto, o milagre econômico não foi suficiente para levantar todo o Brasil, pois existia a concentração de renda e a política de má governantes que persiste intrinsecamente na sociedade contemporânea.   Em uma primeira análise, a concentração de renda em mãos de poucos afeta os indivíduos compostos de uma sociedade. Dessa forma, lembra-se do fordismo no qual operários participarem da produção de um carro, que possui um alto valor no mercado. Porém, pela produção em linha de montagem os operários ficavam alienados no produto produzido e não reivindicam uma melhora do salário. Com isso, o dono da empresa arrecadava todo o dinheiro e distribuía em pequenas partes o salário dos funcionários, causando a desigualdade econômica.    Ademais, em um segundo plano, políticos não governam a economia de modo adequado. Nesse sentido, observa-se a má distribuição da administração política para a economia, como eles querem cada vez mais poder para si, investem em tornar empresas em estatais. Todavia, pela quantidade de empresas fica difícil administrar todas, e também nem todos os países precisam de uma economia forte de estado, como é o caso da Alemanha, um país liberal e forte. Com isso, precisa-se mudar os olhos para a administração econômica do Brasil, para o PIB não decair.     Entende-se, portanto, que a evidência da pobreza no Brasil é fruto da concentração de renda e da política de má governantes. A fim de atenuar o problema, o Poder Legislativo deve criar leis para regular diferentes tipos de trabalho, dando salários apropriados para cada um, junto com o Poder Judiciário que entra com a fiscalização de empresas e punições, como forma de valorizar o trabalhador. De modo análogo, o Governo Estadual deve rever suas empresas estatais, de modo que o PIB nacional não diminua pela falta de administração do estado. Só assim, a pobreza irá dimi...