Enviada em: 31/07/2019

O Futurismo foi um movimento artístico italiano que exaltou a beleza da máquina, da velocidade e das mudanças ocorridas com a emersão do modernismo. Entretanto, a intensificação do modelo de produção capitalista -característico das sociedades modernas- e o crescimento dos grandes centros resultou em problemas como a poluição sonora, que representa um desafio para a saúde e bem-estar da população. Logo, urge que esse entrave seja dissolvido a fim de restaurar o equilíbrio social.   A priori, é possível apontar como principal causa da poluição sonora a má organização das cidades contemporâneas. Isso porque, de acordo com a Organização Mundial de Saúde o nível de ruído permitido nos grandes centros é de 50 decibéis, enquanto algumas cidades atingem entre 90 e 100 decibéis. Tal situação é resultado da falta de planejamento das cidades que concentram as atividades em determinadas áreas e, por isso, são acometidas com trânsitos barulhentos haja vista que a mobilidade urbana é majoritariamente composta por transportes rodoviários, os quais, em geral, emitem grande quantidade de som.    Por conseguinte, o estresse auditivo pode potencializar o risco de doenças para os indivíduos. Tal fato ocorre porque a grande quantidade de ruído pode gerar no organismo reações como estresse emocional, insônia e até a perda irreversível da capacidade auditiva, podendo comprometer, assim, a rotina e a qualidade de vida da população. Nesse cenário, Immanuel Kant, filósofo prussiano, trazia consigo o seguinte pensamento: "O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele". Dessa forma, depreende-se a necessidade de ações que informem e eduquem os indivíduos a respeito dos problemas relacionados com a poluição sonora, tendo em vista que muitas pessoas desconhecem sobre o assunto.    É evidente, portanto, a necessidade de desenvolver medidas objetivando amenizar os prejuízos causados pela poluição do som. Para isso, é importante que o Governo estimule a utilização de transportes alternativos, como as bicicletas, por meio do aumento do número de ciclovias nas vias de grande movimento, com o propósito de diminuir o trânsito barulhento nas grandes cidades. Ademais, corroborando a importância da educação discutida por Immanuel Kant, o Ministério da Saúde deve promover campanhas educativas, veiculadas na televisão e nas redes sociais, com o intuito de informar a população a respeito dos problemas causados pela poluição auditiva para que evitem a exposição a ruídos abusivos e evitem doenças, restaurando, assim, o bem-estar social....