Enviada em: 05/09/2017

É inquestionável que o serviço público de transporte no Brasil é extremamente precário. Isso ocorre devido ao fato dos investimentos nesse setor serem insuficientes para suprir as necessidades de seus passageiros, tornando as viagens desconfortáveis ao ponto de ferir o direito de ir e vir do cidadão, previsto pela Constituição Federal.       São muitos os desafios enfrentados por aqueles que precisam recorrer ao transporte público para sair de casa. A começar pelas passagens de alto custo por um serviço ineficiente, depois de um longo período de espera para ter acesso aos ônibus, metrôs e trens; os quais, raramente, apresentam uma estrutura confortável para receber os passageiros. Sem mencionar o fato de que a frota disponível é insuficiente frente a demanda de usuários, motivo que justifica as superlotações e proporciona um desconforto ainda maior para aqueles que, do transporte público, dependem.       Ademais, essa precariedade do serviço público de transporte interfere de maneira significativa na qualidade de vida dos cidadãos brasileiros. Visto que, os seus usuários são submetidos a diversas situações de estresse, fator que influencia no desenvolvimento de inúmeras doenças, entre elas a obesidade. O incentivo ao uso de veículos individuais, devido ao péssimo serviço de transporte público, e, por conseguinte, o aumento do tráfego das grandes cidades brasileiras também justifica o fato de que tal problemática é prejudicial à sociedade como um todo e não só a ela, mas também ao meio ambiente.       Diante do que foi discutido, é notória a urgência na mudança do quadro apresentado. Uma medida extremamente necessária seria a redistribuição da renda pela Receita Federal, aumentando a verba oferecida para a manutenção do transporte público. Com esse novo adicional, seria possível trocar os veículos públicos por novos, mas equipados , portando poltronas acolchoadas e ar condicionado, além de aumentar a frota tanto de ônibus quanto de metrôs e trens. Outro investimento de grande importância seria a reforma das estações e terminais que também se encontram em péssimas condições. Entretanto, a medida que merece maior destaque é a adoção de um projeto de tarifa zero, algo que além de garantir o direito de ir e vir do cidadão, diminuiria a circulação de automóveis e promoveria um menor impacto ambiental. A fim de que, assim, todos pudessem usufruir de um transporte de qualidade e a mobilidade urbana, no Brasil, fosse um exemplo a ser seguido....