Proteção da Floresta Amazônica: dever do Brasil ou do mundo inteiro.

Envie sua redação para correção
    O filme "Avatar" de James Cameron, apesar de ser uma animação de ficção científica, se vale de uma metáfora para tratar de problemas ambientais e da exploração descontrolada de recursos naturais. Visto que, a cada ano que se passa há um crescimento exponencial na degradação do meio o que se evidencia com a floresta amazônica onde boa parte de sua mata foi desmatada pelo homem. Dentro desta ótica, o combate a deterioração desta fonte de recursos naturais é dever de todos, sendo imprescindível medidas de preservação ambiental tanto pelo âmbito cultura, quanto pelo educacional para mudar esta situação.
         A princípio, vale ressaltar que a Amazônia é a maior floresta tropical do mundo, ocupando áreas de nove países. Neste viés, Albert Schweitzer afirma que "vivemos em uma época perigosa em que o homem domina a natureza antes que tenha aprendido a dominar a si próprio". Ou seja, a partir desta dominação desenvolve-se a prática na qual a monetização dos recursos prejudica gravimente a fauna e a flora, tanto pelo tráfico de animais, quanto pela comercialização ilegal de madeira, o que se confirma através da pesquisa publicada pelo IPAM ( Instituto de Pesquisa da Amazônia) em que até o ano de 2018, quinhentos mil quilômetros quadrados já haviam sido desmatados. Sendo assim, a preservação deve ser considerada ônus de todos. 
        Não obstante, apesar de ser considerada patrimônio natural da humanidade, é evidente que há uma descomunal carência de vigilância para com a preservação da floresta. Uma vez que, desde a colonização cultiva-se a ideia de que os recursos naturais são infinitos, excitando a exploração exacerbada do meio ambiental, o que propicia um desequilíbrio do ecossistema. Neste contexto, torna-se indispensável medidas que amenizem os impactos promovidos pela falta de consciência social.
        Portanto, a fim de impulsionar a proteção da floresta, cabe aos Ministérios de Meio Ambiente dos países os quais fazem parte da Amazônia internacional em parceria com o SIPAM (Sistema de Proteção da Amazônia) promoverem políticas inter ambientais mais abrangentes, por meio da intensificação da segurança, através da contratação de profissionais especializados como policiais ambientais e com o auxílio de sistemas de monitoramento que possam reduzir os índices de desmatamento e exploração ilegal. Desta forma, será possível efetivar a proteção necessária para o equilíbrio da Amazônia.