Proteção da Floresta Amazônica: dever do Brasil ou do mundo inteiro.

Envie sua redação para correção
    Segundo Sartre, filósofo francês, o ser humano é livre e responsável, cabe a ele escolher a melhor maneira de agir e pensar. Todavia, a respeito da proteção da floresta amazônica, recai sobre a humanidade o compromisso de torna o mundo mais sustentável. Nesse contexto, deve-se analisar o aumento do desmatamento do bioma amazônico e, também, as consequência desses impactos para vida humana.
         Em primeira perspectiva, é importante destacar a expansão da retirada da cobertura vegetal da amazônia. Ainda sob esse ângulo, de acordo com levanto realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aproximadamente de 10% a 30% desse ecossistema foi desarborizada. Desse modo, é notório que tal índice é um indicativos para o baixo desenvolvimento sustentável no país, no qual prever a preservação do meio para as futuras gerações sem comprometer a evolução da atual. Assim sendo, são necessárias medidas para atenuar tais impasses.
         Ademais, atrelado ao desflorestamento, salienta-se que essas ações é um impulsionador dos resultados sofridas pela sociedade. Nesse viés, a filósofa Hannah Arendt, com o conceito "a banalidade do mal", afirma que o pior mal é aquele visto como algo cotidiano, corriqueiro. Haja vista que as modificações climáticas são observadas de maneira comum, porém representa favorecimento na degradação ambiental como, por exemplo, o efeito estufa, que é ameniza pelas árvores, com o processo conhecido como "sequestro de carbono", que são recolhidos da atmosfera.
         Torna-se evidente, portanto, a atuação do Ministério do Meio Ambiente, juntamente com o Poder Legislativo, com objetivo de dificultar a degradação da amazônia, crie por meio de projetos de Lei, medidas que complexifique as liberações para o desmatamento, além de obriga as empresas que instalares  nessas regiões planos de recuperações ambientais para possível acidentes ecossistêmicos. Somente assim, através das boas escolhas, conforme Sartre, será possível atenuar o desmatamento na amazônia e reduzir as consequência para humanidade.