Envie sua redação para correção
    Durante o período Pré-Colonial países como França ,Holanda e Inglaterra já cobiçavam o território brasileiro, idealizando as riquezas que aqui poderiam ter. De fato, o Brasil é um dos países mais ricos de minérios, plantas variadas,água etc especialmente na região da Amazônia. Acontece que todas essa abundância natural ainda desperta interesses externos. Contudo, a estratégia para ''invadir'' mudou e apelou para a sutileza.
        Nos últimos anos, a busca por um Mundo Ideal se tornou o epicentro das atenções, direcionando os olhares para o modo que a Amazônia era administrada. Desde então, ONG's buscam atenuar o uso de matéria-prima e ressaltar a importância da região para o Mundo. Foi nesse ínterim que surgiu a Teoria do "Pulmão do Mundo"-tendo essa sido, mais tarde, explicada pela atuante participação das algas na taxa de fotossíntese. E, para reduzir a emissão de gases poluentes é preciso ser sustentável, partindo do princípio da Teoria do Aquecimento Global. Mas não é só isso.
        Recentemente foi descoberto dois minérios com características que proporcionarão uma revolução tecnológica: o grafeno e o nióbio que, coincidentemente, há altas concentrações deles na Amazônia. O mais irônico se estende ao fato das bandeiras estiadas ao entrar em uma das Mineradoras chamada CBMM, enfatizando o interesse de todos os países do Mundo -como um cartão de visitas.
        O interesse para dar pitaco é tão imenso que até a Igreja Católica está modificando seus dogmas e interferindo em assuntos da casa com o Sínodo da Amazônia 2019. Tudo isso só mostra a enorme capacidade que o Brasil possui para tornar-se a principal potência econômica.
        Portanto, cabe ao governo impor limites e assumir responsabilidades investindo maciçamente na área científica para desvendar qualquer teoria falsa. Além de descobrir produtos que possam fazer concorrência com os dos vizinhos -como o Guaraná com a Coca-Cola. Este país é "Meu Brasil brasileiro"- Amazônia faz parte, logo "ninguém" de fora deve se intrometer em assuntos particulares. Da mesma maneira que o inverso é válido.