Proteção da Floresta Amazônica: dever do Brasil ou do mundo inteiro.

Envie sua redação para correção
    José de Alencar e outros autores do romance indianista fizeram seus leitores entender e conhecer a relação do índio com a natureza: subsistência, utilização freada, cooperação. Entretanto, quando se observa a crescente devastação da floresta amazônica percebe-se que esse modo de se utilizar da fauna e flora não é mais prevalecente no Brasil. Nesse sentido, é necessário que subterfúgios sejam encontrados a fim de resolver essa inercial problemática.
         É importante pontuar, de início, que a implementação do modelo econômico capitalista em busca de novos recursos naturais, mostra-se como a principal causa da degradação ambiental. Prova disso, são os dados do Inep afirmarem o elevado aumento de 278% no desmatamento da floresta amazônica, reflexo causado pelo uso de maquinários agrícolas, pastagem de gados e utilização de agrotóxicos e fertilizantes, contribuindo, assim, com um número cada vez maior na mortalidade de diversas espécies constituintes da fauna e flora  brasileira.
           Outrossim, a ausência de uma educação sustentável também configura-se um forte ponto negativo dessa exploração. Falta a população entender que a natureza não é autorrenovável e que, mesmo se fosse, ela não teria uma capacidade de regeneração diretamente proporcional a nossa capacidade de degradação. Assim, a ideia do líder Gandhi de que o futuro dependerá daquilo que fazemos no presente, parece fazer alusão ao fato de que não é prudente a extração exacerbada da Amazônia, prevenindo, com isso, possíveis tragédias futuras.
          Diante do exposto, medidas fazem-se urgentes para resolver esse impasse. Para tanto, seria viável que o Governo Federal, por meio de uma maior parcela dos impostos arrecadados com a Receita Federal,veicula-se aulas em sustentabilidade nas escolas, através de palestras e cartilhas sobre um modo saudável de se utilizar do meio ambiente, visando tornar as crianças futuros adultos mais conscientes, além de sobretaxar um limite de poluição e desmatamento às indústrias atuantes no país, objetivando diminuir o desgaste ambiental dos recursos naturais causado por elas. Com isso, a sociedade brasileira irá crescer e se desenvolver de forma mais sustentável e menos financeira.