Materiais:
Enviada em: 07/07/2018

A época denominada de ''Estado Novo'' aconteceu porque, o presidente, Getúlio Vargas, fez o uso da mídia radiofônica para disseminar um boato de que a república brasileira seria invadida e comandada por comunistas. Seguindo esse contexto, a criação de ''fakes news'' é uma pratica vetusta, contudo, hodiernamente, as notícias falsas ganharam mais ascendência e facilidade de propagação devido a internet, causando assim, inúmero impasses à nossa sociedade. Nesse contexto, cabe analisar sobre como a falta de senso crítico e de políticas de controle no âmbito cibernético influenciam na problemática em questão.   É indubitável que a falta de julgamento sobre a veracidade de uma notícia, por parte dos internautas, esteja associada entre as causas do problema. Isso porque, segundo o Instituto de Tecnologia de Massachusette (MIT), o público alvo das ''fakes news'' tendem a aceitar os boatos sem muita resistência, principalmente, se tais informações ir de acordo com as ideologias do indivíduo. Consequentemente, a busca em outros canais de informação sobre a vericidade da notícia, torna-se nula, e tal hábito, faz com que o compartilhamento de notícias mentirosas aconteça constantemente .   Vale ressaltar, também, que a ineficácia de ferramentas de monitoramento e a falta de rigidez em leis aos criadores das ''fakes news'' atuam como agente ativo para a presença do impasse discutido. Isso ocorre porque, devido a escassez de política de proteção e penalidade, aos emissores do conteúdo falacioso, a distorção ou criação de notícias falsas torna-se um problema presente e criado sem a consciência de suas consequências. Em razão disso, segundo o ideário contratualista de John Locke, configura-se uma violação do ''contrato social'', pois, o estado apresenta falhas com sua função de que os cidadãos gozem de direitos básicos, como o do acesso à informação segura, assegurado pela lei 12.525 da constituição.   Por essa razão, medidas são necessárias para combater esse impasse. Nesse contexto, cabe ao Ministério da Educação (MEC), junto aos canais midiáticos criar propagandas com o intuito de alertar e orientar a a sociedade a lidar com as notícias falsas a fim de diminuir o número de compartilhamento das mesmas. Além do mais, cabe ao Governo Federal em conjunto com o Ministério da Tecnologia, Inovação e Comunicação (MTIC), a criação de programas  capazes de detectar as ''fakes news'' na internet,  visando dessa forma, deletar o conteúdo  e punir seu criador.