Materiais:
Enviada em: 15/04/2019

É notório que, ao analisar o tema riscos de compartilhar mentiras e boatos na internet, não podemos deixar de citar a expressão "fake news" que significa noticias falsas. Dentre tantos fatores relevantes, temos: o perigo que a população corre diante de mentiras e o impacto diretamente na saúde.          Deve-se compreender, inicialmente, que essa realidade no Brasil vem crescendo com frequência, segundo dados da PSafe, 8,8 milhões de pessoas no Brasil teriam sido impactadas por "fake news". Pode-se verificar, por exemplo, que o tema saúde está entre os mais afetados diante das "fake news", agregando 41%. Em seguida, aparecem política com 38% e celebridades com 18%.          Quando se trata de saúde, é necessário que tem-se uma preocupação maior, pois, o assunto é mais delicado. Tendo em vista o crescimento das "fake news", o Ministério da Saúde criou um canal chamado "saúde sem fake news" disponibilizando um numero para envio de mensagens destinado para a população, as mensagens serão apuradas pela equipe técnica do canal e respondidas se são de fato mensagens verdadeiras ou falsas.       Portanto, é de suma importância que a população verifique a veracidade da informação antes de acreditar e compartilhá-la. Com a mobilização da população o percentual irá abaixar e, com isso, os riscos com a saúde diminuirá.