Materiais:
Enviada em: 26/10/2017

No século XX, houve grandes mudanças políticas, sociais e culturais. Muitas novidades como o avião, o automóvel e o cinema, a psicanálise de Freud ou a teoria da relatividade de Einstein originaram novos modos de vida e pensamento. Posto isso, hodiernamente, os riscos da utilização inconsciente dos meios comunicativos em massa tem ganhado repercussão na sociedade brasileira. Nesse sentido, faz-se necessário conhecer os motivos corroboram com a difusão de conteúdos inverdadeiros e boatos na internet.       Segundo Habermas, os meios de comunicação seriam fundamentais para a conquista da razão comunicativa. Diante disso, o avanço dos veículos de informação proporcionou aos indivíduos  vivenciar os fatos em tempos reais, porém, a disseminação de conteúdos não verídicos tem causado muitos mal-entendidos. À guisa de exemplo, tem-se a dissipação da notícia de que pedaços de rato foram encontrados no refrigerante de coca-cola. Dessa forma, a aceitação de circunstâncias errôneas acarretam em consequências negativas, como no caso da empresa Coca-Cola a qual passou por difamações.       Ademais, vale também ressaltar a experiência superficial dos internautas a abundância de conteúdos que circulam nas mídias. Diante tal fato, a ausência de conhecimento da origem dos documentos publicados em rede, torna-se possível a criação de uma área de boatos, à exemplo disso tem-se a propagação de que mudanças foram realizadas na correção das redações do Exame Nacional do Ensino Médio. Em síntese, a pouca regulamentação do Governo das notícias que são circuladas através da mídia ocasiona o compartilhamento de uma "falsa verdade"  instantaneamente de sujeito à sujeito irresponsavelmente.       De acordo com Émille Durkeim, a sociedade possui um forte poder coercitivo sobre a consciência individual. Desse modo, o Ministério da Comunicação deve realizar políticas socioeducativas na mídias e sociedades que mostrem os riscos que uma mentira compartilhada causa, por meio de anúncios, propagandas e palestras a fim de que os internautas procurem conhecer as fontes dos conteúdos antes de partilha-las e se mobilize ao encontrar falsas notícias.