Violência urbana no Brasil

Envie sua redação para correção
    Em termos de avaliação interna, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) tem apontado a região Nordeste como uma das mais violentas do Brasil, destacando o estado do Ceará como o grande afetado pela questão. No Rio de Janeiro, a recém administrada intervenção militar não significou mais que centenas de vidas inocentes ceifadas em favelas e periferias. Nesse sentido, é possível afirmar que as raízes da violência urbana no país são decorrentes da condição generalizada de pobreza em âmbito nacional.
      O Brasil, ainda de acordo com o IBGE, encontra-se em 79° posição no ranking de IDH mundial, o que implica em péssimas condições de vida para os brasileiros. O país ainda tenta se recuperar das consequências da recessão que trouxe milhares ao desemprego e comprometeu a renda de muitas famílias. O abalo trazido por essa realidade tornou comum a busca por rendas alternativas que incluem tráfico de drogas e o contrabando de mercadorias, típicos do ambiente urbano, e responsáveis por atrair o combate armado às ruas das cidades brasileiras.
      ''Os fracos usam a a violência, os fortes, as ideias'', a frase do escritor brasileiro Augusto Cury resume com clareza o melhor ângulo de abordar a questão da violência: pela educação. A falta perspectiva, ocasionada pela pobreza de uma maneira geral, leva às ruas jovens e crianças de origem humilde que logo são engolidos pela supressão social da marginalização, fator a ser atenuado por melhores condições de ensino no país.
      Dessa maneira, a violência urbana no Brasil, é decorrente de fatores diversos que, no entanto, mostram conexões diretas com a pobreza generalizada. Todavia, o MEC (Ministério da Educação) pode partir da criação de programas sociais para fornecer mais bolsas, incentivos sociais e melhores condições alimentares para as tantas crianças e jovens carentes, suscetíveis aos males da corrupção urbana e promover, assim, melhores possibilidades de ascensão social, responsáveis por erradicar os altos índices de crescimento da violência urbana no Brasil.