Violência urbana no Brasil

Envie sua redação para correção
    Caso Liana. Morro do Alemão. Sequestro do ônibus 174. Esses são apenas três dos milhões de casos de violência urbana no Brasil. Tal fato é um problema, pois traz diversos males à sociedade, tanto na saúde pública,quanto na sensação de insegurança. Assim, faz-se profícuo observar a parcialidade governamental e a desigualdade social como pilares fundamentais da problemática.
      Em primeiro plano, a negligência do governo em relação a impunidade de criminosos e a falta de estrutura nos sistemas penitenciários fomenta a morte de diversas pessoas.Percebe-se que o conceito abordado materializa-se em apontamentos do Atlas da Violência, o qual expõe que o número de mortos no Brasil, em 2016, ultrapassou os 60 mil. Dessa forma, quando agentes do crime praticam suas brutalidades e ameaçam a vida de pessoas, mas ficam impunes, tendem a cada vez mais cometer os mesmos atos. Ou, também, quando são detidos, vão para a cadeia -mais conhecida como ''escola do crime''- viver em celas superlotadas, aprendendo mais sobre a criminalidade. Assim, a população ao invés de ficar segura, permanece acuada.
    
      Outrossim, presencia-se uma forte desigualdade social no Brasil, uma vez que a maioria das pessoas vive com baixa escolaridade e dificuldade de acesso aos serviços básicos. Tais fatores ''empurram'' os mais vulneráveis para o mundo da criminalidade como uma opção para a sobrevivência. Com isso, jovens moradores de comunidades vêem no crime uma esperança para uma vida melhor. No entanto, colocam- se em risco em embates com a polícia militar, isso prova-se quando pesquisas segundo o IPEA mostram que mais da metade dos óbitos no Brasil foram de jovens que morreram violentamente.