Envie sua redação para correção
    Segundo Jean Paul Sartre " a violência, em qualquer manifestação, é sempre uma derrota". Entretanto, no Brasil a taxa de homicídios cresce em uma escala alarmante, equivalendo a um índice de trinta vezes maior do que a da Europa - Atlas da violência 2018. Isso reflete, na indiferença em questões socioeconômicas e de raça, engajado a falha do Estado na prestação de educação, moradia e emprego, principalmente, em áreas periféricas.
    
           É imprescindível salientar que, desde os primórdios da colonização a questão racial está presente. Embora os índios já habitassem o Brasil, os portugueses ao chegarem na terra os escravizaram, usufruindo da sua mão de obra e ferindo sua cultura. Nesse contexto, pode - se perceber o quão contribuinte esses fatores são para a falsa noção de superioridade, alimentando assim, uma sociedade alienada por esteriótipos.
        Outrossim, o descaso do Estado para com cidadãos de áreas periféricas é entristecedor. Em consonância a isso, o filme brasileiro " Cidade de Deus " relata o crime organizado em uma favela no Rio de Janeiro, onde o crime e a violência são protagonistas , vistos como formas de sobrevivência. Desse modo, a criminalidade cresce constantemente, visto que, os jovens dessas áreas , muitas vezes, são aliciados para entrar no mundo do crime, a fim de   garantir sua subsistência. 
         Destarte, fica claro que a violência no Brasil tem raízes profundas. Logo, cabe ao Ministério da Educação em parcerias com as escolas, promover eventos em forma de teatro, palestras e projetos, a fim de  extinguir a indiferença social e racial existentes até hoje, envolvendo não só o corpo escolar, mas também toda a comunidade de forma que a cor da pele ou classe social deixem de ser fatores avaliativos. Ademais, é importante que o Estado invista na construção de escolas nessas áreas, trabalhando em conjunto com Parcerias Públicas - Privadas (PPPs) e Organizações Não - Governamentais (ONGs), envolvendo professores voluntários e promovendo cursos técnicos profissionalizantes, em prol de findar uma educação de qualidade nas periferias e construção de cidadãos de bem. Com isso, o quadro de violência urbana seria revertido.