O que mudou e como corrigir a proposta de intervenção

Daniel Machado dos Corretores

Olá, equipe! Como muitos de vocês já devem saber, a proposta de intervenção no Enem 2018 mudou! Mostramos AQUI, de forma breve, que a banca responsável pela correção das provas simplificou a cobrança e normatizou alguns aspectos para que fiquem mais claros ao aluno sobre o que deve ser feito. Para alinharmos bem nosso trabalho de correção na plataforma, elaboramos este material, sobre o que mudou e como corrigir a proposta de intervenção. Sintam-se à vontade para compartilhar conosco suas dúvidas ao final da leitura, afinal queremos enriquecer cada vez mais a atuação de vocês como educadores.

A proposta de intervenção do Enem é obrigatória e equivale a 20% da nota total, sendo avaliada na competência 5. Para avaliar corretamente essa parte do texto, siga os seguintes passos:

  • Identifique se o que foi apresentado como problema no desenvolvimento tem indicação de uma necessidade de proposta. Assim, é importante observar se a proposta está articulada à discussão.
  • Observe se o aluno respeita os Direitos Humanos. Caso isso não aconteça, a nota na competência deverá ser, portanto, zero.
  • Faça um check list. A proposta deve conter:
  1. ação interventiva
  2. agente
  3. modo/meio
  4. efeito
  5. detalhamento

A ação interventiva

responde à pergunta: “O que o aluno propõe para resolver?”

agente

responde à pergunta: “Quem foi responsabilizado pelo aluno para solucionar o problema?”

O modo/meio

responde à pergunta: “Como o problema será resolvido? Por quais meios?”

O efeito

responde à pergunta: “Qual é o propósito da proposta para o aluno?

O detalhamento

é uma informação adicional sobre pelo menos um dos elementos anteriores.

Veja um exemplo retirado da cartilha do participante do Enem 2018:

“Portanto, conclui-se que deve-se* tomar medidas que incluam os surdos na educação, assegurando o desenvolvimento desse grupo. {agente} As escolas devem, então, {ação} promover a assistência a esses deficientes, {modo/meio} por meio da disponibilização de voluntários que dominem a linguagem de Libras, {detalhamento do modo/meio} principal forma de comunicação da população surda, {efeito} com o objetivo de inserir as pessoas com essa deficiência nas salas de aula, {detalhamento do efeito} facilitando também o aprendizado. {agente} A mídia deve, ainda, {ação} mostrar, com exemplos, a igualdade que deve prevalecer no ambiente escolar, {efeito} acabando com o preconceito e com o bullying. {detalhamento do efeito} Com essas medidas, a eugenia social será minimizada e os deficientes auditivos serão incluídos nos processos educacionais brasileiros.”

*problema de colocação pronominal.

O autor do texto apresentou duas propostas completas, com a apresentação dos 5 elementos listados anteriormente, o que é excelente. ATENTE-SE, PORÉM, que se ele tivesse apresentado apenas uma proposta completa e na segunda, por exemplo, não desse o detalhamento do efeito, ele ainda deveria receber a nota total na competência. O Enem convencionou que avaliemos a proposta mais completa, ou seja, a que apresenta mais elementos dos listados acima.

Receberá nota 0 quem não apresentar proposta, quem ferir os direitos humanos ou quem fizer uma proposta não articulada à discussão do texto.
Receberá nota 40 quem tangenciar o tema, quem apresentar uma proposta precária (não especificando nenhum dos elementos) ou apresentar somente um elemento.
Receberá nota 80 quem só apresentar dois elementos completos.
Receberá nota 120 quem só apresentar três elementos completos.
Receberá nota 160 quem só apresentar quatro elementos completos.
Receberá nota 200 quem apresentar os cinco elementos completos.

É importante lembrar que a proposta de intervenção vem de forma mais coerente no parágrafo final, mas não está proibida de aparecer no desenvolvimento, desde que depois da apresentação de um problema. Portanto, atenção ao penalizar o aluno por supostamente não apresentar uma proposta.

Até a próxima e boas correções! 🙂

Vamos debater sobre?