Redação: Eleições 2018: O papel das redes sociais nas discussões políticas

Roberta Rinaldi Exemplo de redação

[7] Com a Terceira Revolução Industrial, iniciada na segunda metade do século XX, muitos avanços foram trazidos para a humanidade, principalmente no que concerne à rápida e ubíqua dissipação de opiniões de uma pessoa para outra. No entanto, na atualidade o grande fluxo informativo tem potencializado o modelamento de muitas concepções do que é o ideal para uma sociedade, assim, como resultado de tal processo, destaca-se a profunda influência dos meios comunicacionais sobre as eleições por todo o mundo.

Nesses termos, é observável que em países como o Brasil e os Estados Unidos da América o resultado das últimas eleições foram majoritariamente submetidos à influência das redes sociais. Como prova desse fenômeno, pode-se demonstrar o alto nível de renovação dos atores políticos no sudeste brasileiro e a substantiva renovação do Executivo norte-americano, elegendo, após 8 anos de hegemonia do Partido Democrata, Donald Trump, um candidato do Partido Republicano. Esses resultados, aliados à ascendente participação das pessoas nas redes sociais, demonstram o grande poder de coação individual que a internet adquiriu nos últimos anos.

Supracitado alguns dos elementos que compõem a temática proposta, vale ainda mencionar o aspecto desleal que a proximidade entre políticos e eleitorado pode causar, uma vez que a internet possibilita uma relação estreita entre candidatos e o público. De acordo com uma pesquisa realizada pela universidade de Oxford, em 48 países as eleições tiveram influências de partidos políticos que, manipulando as notícias partidárias a seu favor, buscavam a persuasão dos seus eleitores. A pesquisa citada nos autos demonstra, ainda, que nos países da América Latina esse fato é mais recorrente, o que indica uma ausência de preparo dos provedores de internet para filtrar as informações veiculadas na grande rede. [1]

Assim sendo, faz-se necessária a ação governamental para a criação de medidas políticas que visem a maior quantidade de felicidade possível, parafraseando Jeremy Bentham. Portanto, o Ministério da Educação deve implantar no calendário público federal o ensino de filosofia política para os alunos, com o objetivo de desenvolver no eleitorado uma reflexão mais aprofundada dos elementos constitutivos da política de cada Estado, [2][3] com isso, impediria-se a total subversão das pessoas para com o bombardeamento informativo nas redes sociais. Ademais, o Governo Federal pode fortalecer as instituições de regulamentação dos provedores de internet, com a finalidade de pressioná-los a desenvolverem melhores algoritmos de filtro contra notícias políticas inverossímeis. Fazendo-se isso, o Brasil estaria no caminho certo para alcançar uma política saudável e ideal. [4][5][6][8]

Avaliação por competência:

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta:

[2] Insira ponto final.

[3] Utilize letra maiúscula.

Competência II – Compreender a Proposta:

[5] Compreendeu a proposta de modo satisfatório.

[6] Demonstra entendimento do texto de forma clara e objetiva

Competência III – Selecionar e relacionar argumentos:

[1] Os dados que você apresentou denotaram credibilidade ao que você defende. Muito bem!

[7] Ótima contextualização!

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação:

[8] Parabéns pelo domínio dos mecanismos linguísticos para a construção do texto.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema:

[4] Excelente intervenção! Além de dizer como, você disse por quem e como o problema seria resolvido.

Nota: 960

Vamos debater sobre?