Enem 2018 e a Proposta de Intervenção

Daniel Machado Dicas de Redação

A proposta de intervenção no Enem 2018 mudou! Te mostramos AQUI, de forma breve, que a banca responsável pela elaboração das provas simplificou a cobrança e normatizou alguns aspectos para que fiquem mais claros ao aluno sobre o que deve ser feito. Por isso, elaboramos este post, para que você compreenda todas as particularidades da proposta de intervenção no Enem 2018. Confira:

Como você já deve saber, no Enem, a proposta de intervenção é obrigatória e tem até uma competência específica para avaliar essa parte do texto, equivalente a 20% da nota total!  Pois é! Então, se você quer tirar a tão sonhada nota 1000, tem que fazer, também, uma boa proposta de intervenção. 🙂 Mas pode ficar tranquilo que não tem muito segredo, olha só:

Primeiro passo

Identifique o que foi apresentado como problema em seu desenvolvimento para, a partir de então, pensar em formas de resolver. Isso é necessário porque os avaliadores irão observar se sua proposta está articulada à discussão.

Tenha em mente os Direitos Humanos

Uma coisa muito importante sobre a proposta de intervenção é que ela precisa respeitar os Direitos Humanos. Qualquer proposta que desrespeite os direitos básicos do cidadão será zerada! Atente-se a isso!

O que deve ser apresentado?

Há 5 partes importantes da proposta. Anota aí:

  • ação interventiva
  • agente
  • modo/meio
  • efeito
  • detalhamento

A ação interventiva responde à pergunta: “O que é preciso fazer para resolver o problema?”

O agente responde à pergunta: “Quem pode fazer isso?”

O modo/meio responde à pergunta: “De de que forma será feito, ou seja, por quais meios?”

O efeito responde à pergunta: “Qual é o propósito dessa intervenção, quais serão os efeitos dela?”

Por fim, há o detalhamento. Ele responde à pergunta: “Qual informação adicional foi acrescentada sobre um dos elementos anteriores?”

Agora vamos identificar cada um desses elementos em uma proposta.

Exemplo:

“Considerando os aspectos mencionados, fica evidente a necessidade de medidas para reverter a situação. O Estado {agente} deve investir na formação dos futuros docentes, {ação interventiva} criando novas disciplinas curriculares que discutam a inclusão de surdos nas escolas e preparem de forma apropriada os estudantes dos cursos de licenciatura. {modo/meio} Dessa forma, será possível garantir uma educação que, de fato, integra indivíduos e promove a plena construção de conhecimentos. {efeito} Só então seremos uma sociedade que promove a igualdade de direitos.{detalhamento do efeito}”

Lembre-se de ser específico, por exemplo: qual esfera governamental? Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário? Você pode citar algum Ministério em particular?

Escrevemos um post sobre as funções de cada agente da proposta. Clica AQUI para entender um pouco mais!

É importante esclarecer que a proposta de intervenção vem de forma mais coerente no parágrafo final, mas não está proibida de aparecer no desenvolvimento, desde que depois da apresentação de um problema, né?!

Lembre-se de fazer uma proposta completa e arrase na redação!

Bons estudos e até a próxima 😉

Vamos debater sobre?