Enviada em: 12/08/2019

Nos anos 50 os fast-foods chegaram ao Brasil para mudar os hábitos alimentares dos cidadãos brasileiros, que trocaram ao longo dos anos a típica comida brasileira pelos alimentos processados, que foram adotados em massa devido a falta de tempo e que tem como consequência o aparecimento de doenças crônicas.    A princípio, a falta de tempo é um impasse para a sociedade moderna. Uma vez que, a grande jornada de trabalho, ajuda a negligenciar horário de lazer e de alimentação. Dessa forma, intervalos com curto prazo pedem refeições rápidas que contribuem para ingestão de alimentos processados e fáceis de preparar. De acordo com pesquisas sobre o padrão alimentar ocidental, o brasileiro vem consumindo cada vez menos os alimentos mais tradicionais da cultura nativa. Sendo assim, o alimento processado está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas.    Em segunda análise, com o aumento do consumo de produtos industrializados e ultraprocessados há o acréscimo nos casos de doenças crônicas nos brasileiros. Dessa maneira, o consumo frequente desse tipo de alimentos acarreta na falta de vitaminas e nutrientes, visto que esses alimentos são compostos majoritariamente por sal, açúcar, óleos e gorduras. Ademais, a junção da má alimentação com o sedentarismo favorece ao aumento de peso. De acordo com pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais da metade dos brasileiros estão acima do peso ideal. Desse modo, com a falta de tempo de preparo de alimentos saudáveis o consumo de ultraprocessados aumentou e consequentemente o número de pessoas acima do peso e com obesidade também se elevaram.    Portanto, o impacto dos ultraprocessados no no padrão alimentar brasileiro é um risco para saúde da população, sendo assim é necessário que o Ministério da Saúde alerte a população brasileira sobre os males do consumo excessivo de produtos industrializados., por meio de propagandas nas mídias sociais para atingir uma maior parcela de brasileiros. Como também, juntamente com o Ministério da Educação promover palestras nas escolas com profissionais capacitados como nutricionistas, a fim de educar os alunos sobre a importância dos hábitos saudáveis. Com isso, o consumo de alimentos processados pode ser minimizado.