O impacto dos ultraprocessados no padrão alimentar brasileiro.

Envie sua redação para correção
    Os alimentos ultraprocessados são um conjunto de fórmulas químicas acompanhadas de uma grande quantidade de substâncias, como sódio ou açúcar, que tem o objetivo de se parecer com os alimentos originais. Visto isso, o impacto dessas comidas no padrão alimentar de uma comunidade não se restringe apenas à saúde, mas também na cultura do local. Nesse cenário, o aumento do consumo dos mesmos tem gerado grandes problemas para o país, a população e a saúde.
          Primeiramente, é notável que os  ultraprocessados não possuem ingredientes, nem em quantidade nem em qualidade, para suprir toda a necessidade do corpo humano. Segundo pesquisas divulgadas pelo Ministério da Saúde, nos últimos anos houve o aumento de 67,8% de casos de obesos no Brasil. Isso acontece porque, nos dias que correm, a rotina agitada da maior parte da população leva os indivíduos a busca pela praticidade e agilidade, tornando-se vítimas de um sistema de marketing das empresas de produtos muitos processados, que disseminam a ideia de alimentação moderna, saborosa, acessível e não prejudicial. Desse modo, a ausência de uma legislação forte, resulta no crescimento dos gastos na saúde pública devido o aumento de pessoas com hipertensão, diabetes e excesso de peso.
          Em segundo plano, a cultura do cultivo de alimentos brasileiros, por efeito do aumento no consumo dessa fórmulas, estão se restringindo a uma monocultura de produtos de bases para os ultraprocessados. Sob a ótica do ativista Mahatma Gandhi, o futuro depende do que fazemos no presente. Nessa perspectiva, é nítido que a difusão  de plantios restritos a um só produto traz problemas para as novas gerações, que serão reféns de alimentos demasiadamente processados, além do empobrecimento do solo e da agricultura, que se sujeita a perdas de espécies nacionais e exóticas do país. Consequentemente, esses campos agrícolas produzem grandes impactos ambientais, como o desequilíbrio ecológico, causada pela retirada da cobertura vegetal, pelo excesso de  defensores agrícolas, altamente prejudiciais a saúde entres outros.
            É imprescindível, portanto, a resolução de tal problemática. Assim, cabe ao Ministério da Saúde juntamente com a Anvisa(agência nacional de vigilância sanitária) agir de maneira semelhante ao controle que os próprios órgão tiveram quanto a indústria de tabagismo.Dessa forma, reduzir a quantidade de propagandas exibidas nas mídias abertas e alertar os efeitos que o consumo exagerado de ultraprocessados podem oferecer ao corpo, através de campanhas levará informação e consciência a população. Ademais, o aumento de impostos sobre os mesmos, leva a elevação de preços dos alimentos, o que diminui o consumo e ajuda custear tratamentos de enfermidades que o mesmo traz.