O impacto dos ultraprocessados no padrão alimentar brasileiro.

Envie sua redação para correção
    A revolução industrial mudou a forma como a sociedade se organiza,deixando o campo para viver em cidades com um ritmo de vida frenético foi forçada a mudar inclusive seus hábitos alimentares utilizando cada vez mais produtos ultraprocessados pela praticidade e baixo custo em comparação aos outros.Hoje,no Brasil,essa realidade se perpetua e preocupa pelo seus impactos negativos na saúde da população,visto que não só é maior o risco de doenças cardiovasculares,mas também é crescente o número de obesos no país. A alimentação saudável está cada vez mais distante da realidade do cidadão brasileiro,pois com o crescimento veemente de diversas indústrias e o surgimento de novos produtos alimentícios no mercado,o arroz,o feijão e a carne comprada em açougues estão sendo trocados por alimentos enlatados e de mais fácil e rápido preparo,assim,fazendo com que a nova geração de crianças e adolescentes se torne uma futura geração doente com jovens,adultos e idosos obesos,diabéticos e hipertensos,já que os ultraprocessados são compostos por uma alta adição de açúcares,gorduras e sódio,se tornando também um problema de saúde pública. Em consequência disso,nota-se o impacto negativo dos alimentos ultraprocessados,assume grande importância quando se considera que vitaminas e minerais desempenham papéis críticos na sinalização celular,na produção de hormônios,nas respostas imunológicas e no desenvolvimento e na manutenção das funções vitais.Embora nem sempre a deficiência de micronutrientes se manifeste clinicamente,deficiências subclínicas podem causar prejuízos à saúde. Diante disso,é imprescindível,que medidas o governo juntamente com o ministério da saúde devem realizar campanhas que mostrem os impactos causados pelo consumo excessivo de alimentos ultraprocessados,fazendo assim com que a população se conscientize sobre os efeitos negativos,que apesar da praticidade tais alimentos proporcionam, fazendo com que esses alimentos sejam retirados ou ao menos diminuídos do cardápio do brasileiro.